Amo... Logo existo.




Quero escrever um poema,
Mas minha alma anda pequena.
Então é esse o problema,
A vida não está amena...

Desejo um amor no peito,
Aqui dentro anda tão seco.
Preciso de um sentimento perfeito,
Sozinho apenas me perco...

Anseio recitar poesias,
Sobre coisas do coração,
Um misto de amor e magia,
Felicidades da imaginação...

Cobiço um amor faiscante,
Verdadeiro e de chama eterna.
Que seja um amor gritante,
E comigo sempre terna...

Procuro declamar meus versos,
A donzela e a sua beleza.
Seremos deuses no universo,
Exaltando a Mãe Natureza...

Espero a inspiração,
Na graça de uma divina.
Que tenha amor e paixão,
E uma alma que ilumina...

Sonho com o imensurável,
O intocável, o não visto.
Sentimento inabalável,
Amo... logo existo.

1 comentários:

Thiago brOw disse...

Quanto mais sentirmos falta de posição mental para escrever, nesse momento no qual a alma fica pequena, são nesses momentos que a verdadeira inspiração aparece pra nos levar à algum lugar aonde jamais estivemos.

Postar um comentário