Saudade... Doce sofrimento...

Uma vez ouvi um rapaz dizer "Quem eu amava morreu a tanto tempo... Que eu começo a esquecer o som da sua voz, o cheiro que ela tinha... Seu rosto...".

Eu nunca havia parado para pensar como isso deveria ser doloroso. Eu achava algo super normal, e que ele tinha mais é que se acostumar... Fotos estavam lá para isso...

Mas eu descobri que isso, é o pior pesadelo de qualquer pessoa...
Parei pra pensar sobre isso recentemente, sobre alguém que eu amava muito e que já faleceu.
Eu descobri que quase não consigo mais me lembrar da voz dele, seu rosto, sua risada... O jeito como tocava violão para mim, a textura da sua pele...
E eu me apavorei. Tentei buscar na minha memória todas essas informações... Mas já estavam muito longe.

E eu me apavorei novamente. É difícil aceitar a derrota para o tempo... Bastante, por sinal.
Sempre pensei que eu conseguiria vencer essa barreira, e que nunca me deixaria esquecer tais coisas, mas não foi bem assim.
Eu me perguntei se as pessoas que o conheciam, sentiam o mesmo... Mas nunca perguntei, afinal... Vai que eu causasse o mesmo sentimento de tristeza neles... Não mesmo !

Fui deitar com esse pensamento... E fui deitar triste, buscando pelo menos os momentos que eu me recordava, tentando puxar o máximo possível... Pra deixá-lo sempre perto de mim, de alguma forma...

Eu não posso mais correr atrás de falar com ele, de abraçá-lo, de sentar no balanço e ouvir ele cantar para me ninar... Não posso mais... Porque, por mais que eu procure, não estará em lugar nenhum. Não existe mais a sua presença, seu coração não bate mais, se corpo não produz mais aquele calor acolhedor...

Saudade... Não é aquela saudade que se sente quando se viaja e se tem a certeza de que irá se reencontrar em breve... Mesmo aquela, que não se sabe mais quando volta, mas se sabe que a pessoa estará lá, quando voltar... Mas sim, aquela saudade... Que nunca será saciada. Aquela que pesa na consciência "eu poderia ter feito mais... eu poderia ter falado mais...eu poderia ter me importado mais...".

Nossa, chega pesa a respiração...
Sei que alguém já sentiu isso, além de mim e aquele rapaz... Sei que alguém sofreu como nós...
Eu não desejo essa forma de sofrimento a outra pessoa, de forma alguma... Mas infelizmente, todos passaremos, ou faremos alguém passar, por algo assim...

3 comentários:

Drix Brites disse...

no dia seguinte à morte de meu pai tive essa constatação, de que ali começava um caminho sem volta, onde a distância se faria cada vez mais presente, a cada segundo, a cada instante, tudo viraria apenas memória...
até que descobri um lugar onde poderia tê-lo de volta, e sua presença fosse tão vívida que se tornaria um encontro especial..
no mundo dos sonhos reencontrei meu pai, nos abraçamos, falamos, rimos...
sempre que a saudade aperta demais vou lá encontrar meu pai..
:)

Thiago brOw disse...

É, isso realmente é muito triste... apesar do tempo contrair o nivel e o tamanho da lembraça.. e isso muitas vezes fazernos ter a sensação de fracasso.. JAMAIS ela se apagará. :)

Isaac Dobbin "O bardo" disse...

Acho q todos esquecemos os rostos, a voz... o tempo destroe tudo... mas a alma fica, em um pedacinho escondido no coração

=/

Postar um comentário