Fábula


*

Era a história de uma menina que não sabia chorar.
Sentia tudo o que sentiam os anjos.
Mas não sabia o que era sofrer.
Não sabia o que era o humano.
Mas sabia o que era o querer.
Fitava nas águas sua imagem, e acreditava que era um ser
de muitas ondas e muitas viagens,
muitas paisagens e muito, muito querer.
Queria apenas, e seu desejo valia a pena, mesmo sem saber o que queria.
Mas se valia, a ela bastava, e não entendia por que sofrer.

Um dia, feita de nuvem, voava alto, até que o Sol,
centro de tudo o que os homens vivem e crêem, lhe perguntou porque viver se nada sabia sobre sua vontade. E ela lhe disse que mais valia querer e querer.
Lhe disse o Sol que se não sabia o que queria era porque nada queria então. Pois não há querer sem algo que se queira.

Ela pensou, sorriu, e lhe disse:
Só conheço o céu e o canto das estrelas, não tenho missão,
nem mesmo coração, sou feita do pó que voa com o vento, feita daquilo que segue sem porquê, sou feliz por não saber meu destino, que é o destino do acaso onde mora Deus. O Deus sem memória, sem ida nem volta, um Deus sem história, que ninguém pode ver.
Não sou dos homens, ou dos anjos, nenhum deus me cuspiu
ou comeu, nenhum ser sabe ao certo se existo.
Nem mesmo eu, nem mesmo Deus.
Então sigo somente, feliz e contente. Por não ter amarras
ou mesmo correntes.

E o Sol se calou e chorou pelos homens, pois já não era simplesmente, mas sim o que queriam que ele fosse.

***

(in 'Mensagens Inconscientes', 2002)
(foto by Drix, praça Paris, Glória, RJ)

3 comentários:

Anônimo disse...

Lindo poema... a fotu ficou maravilhosa... vc tem talento menina...

Thiago brOw disse...

Realmente.. como já dizia Marcelo Camelo.. 'Quem sempre quer vitória e perde a glória de chorar'

:)

Rodrigo disse...

Que foto linda! Tomei a liberdade de copiá-la para mim. >) rsrs
Adorei a história. Uma bela fábula com uma bela mensagem.

beijos =*

Postar um comentário