A Mexicana


Acordado fico imaginando
Tudo que vai passando
Vendo tudo se acabando

Confuso eu ficava
A noite chegava
Na rua, talvez estava

Um amigo encontrei
Com ele conversei
Para ele eu falei

Uma cerveja vamos tomar
Uma história lhe contar
Uma mulher a me esperar

Tenho uns trocados no bolso
Na carteira um beck grosso
Os arcos da lapa: maravilhoso

Seu olhar era lindo
Eu timido rindo
Ela estava vindo

Uma energia surgia
Um dois ela me pedia
Mexicana, ela dizia

Destraída, sua fala era pouca
Minha mente completamente louca
Beijava, tão doce sua boca

Tudo agora está escuro
Pela escadaria eu murmuro
Pessoas observam pelo muro

Com o sol eu acordei
Como durmi não sei
'Mexicana', então pensei

Seu sorriso, sua pele
Seu nome, Nathiely
Nathiely...

2 comentários:

Karla Hack disse...

Leve de se ler
Intenso em cada versos
Puro enmdantamento!
;D

Willian Bananada disse...

Lembro que ele me disse essa história
eu nao acreditava
mas como ele lembra disso até hoje ,
passei a acreditar , ainda mais que ele foi foda
me levou pra la vi que foi foda,
e quero ir pra la e ser muito mais vezes foda !
BrOw é nozes ! (L)

Postar um comentário